Destaque

Secretaria de Operações Integradas acompanha evento-teste da segurança para a Copa América

publicado: 31/05/2019 15h12, última modificação: 26/08/2019 12h32
Em Salvador, equipes colocam em prática o Planejamento Estratégico construído sob a coordenação do MJSP
Copa america 2.jpg

Salvador, 30/05/2019 - Mais de 36 mil torcedores acompanharam, na noite desta quarta-feira (29), a partida entre Bahia e São Paulo pela Copa do Brasil, na Arena Fonte Nova em Salvador (BA). Nos bastidores, centenas de profissionais atuavam seguindo um rigoroso Plano Estratégico de Segurança que servirá para a atuação durante a Copa América 2019, entre 14 de junho e 7 de julho.

O jogo serviu como evento-teste para a competição que reunirá 12 seleções de países da América do Sul - além das seleções do Japão e Catar -  e terá como sede: Salvador (BA), Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP) , Belo Horizonte (MG) e Porto Alegre (RS).

Elaborado sob a coordenação da Secretaria de Operações Integradas (Seopi) do Ministério da Justiça e Segurança Pública, o  Plano Estratégico de Segurança da Copa América foi entregue aos representantes das cidades-sede no início de maio, durante evento-teste em Porto Alegre (RS).

"A Secretaria de Operações Integradas, no papel de coordenação, faz com que os órgãos conversem entre si. Por isso foi criado o Plano Estratégico de Segurança Pública que conta com matrizes de responsabilidades onde cada órgão vai executar sua função legal e estarão num ambiente comum, o Centro Integrado de Comando e Controle, para cuidar da segurança desse evento, cada um dentro de sua atribuição, cumprindo sua função legal e ajudando-se mutuamente", afirmou o coordenador de operações integradas da Diretoria de Operações da Seopi/MJSP, Antônio Edgard.

 

Evento-teste em Salvador

Integrantes da Secretaria de Operações Integradas do MJSP e pontos focais dos estados que receberão a competição se reuniram, na terça-feira (28), com representantes da Secretaria de Segurança Pública do Estado da Bahia.  No dia a partida entre Bahia e São Paulo, a comitiva conheceu o Centro Integrado de Comando e Controle, onde representantes de diferentes órgãos envolvidos no evento vão trabalhar em conjunto.

Os cinco centros integrados regionais atuarão em comunicação com o Centro Integrado de Comando e Controle Nacional do Ministério da Justiça e Segurança Pública, em Brasília (DF).

"A gente sai do campo teórico e vai para o campo prático. Verificamos se aquilo que está sendo preconizado no nosso planejamento é factível na operação, se as rotas que foram construídas durante o trabalho de planejamento são factíveis de acontecer", afirma Edgard.

Em Salvador, o teste da segurança envolveu a escolta dos times aeroporto até o hotel, deste até a Fonte Nova, além da segurança no perímetro externo e interno da Arena, controle do trânsito, monitoramento da entrada dos torcedores, entre outros.

"Estamos testando algumas áreas funcionais daquilo que já planejamos com base nas experiências que já tínhamos de eventos anteriores, como Copa do Mundo e Olimpíadas e, principalmente, análise de risco feita sobre a supervisão da Secretaria de Operações Integradas do MJSP. Estamos indo pra campo com o trabalho das oficinas temáticas, algumas já em teste prático, outras somente a nível de observação para ver como se comporta nesse cenário", afirma Marcos Oliveira, coordenador do Grupo de Trabalho Copa América na Bahia.

 

Atuação integrada

As polícias Federal, Rodoviária Federal, Militar, Civil, além das Secretarias de Segurança Públicas ou similar, Bombeiros Militares,  Guardas Municipais, Órgão de Trânsito e Defesa Civil estarão envolvidas na atuação conjunta.

Para não haver sobreposição de tarefas, os papéis de cada instituição na operação,  foram definidos por Áreas de Interesse Operacional (AIO) e diagnóstico dos fatores de risco, mapa estratégico, eixos de atuação, cronograma, metodologia, matriz de atuação e de responsabilidades .

São consideradas Áreas de Interesse Operacional (AIO): aeroportos, hotéis, centros de treinamento, estádios e rotas protocolares e Áreas Impactadas (AI): pontos turísticos, locais de aglomeração de público e, no Rio Grande do Sul, também será considerada a região de Fronteira.

O reforço nas Áreas de Interesse Operacional e Áreas Impactadas, em todas as sedes, está prevista para 15 dias antes do 1º jogo e 2 dias depois do último jogo que compreenderá o período de 31 de maio a 9 de julho.