Destaque

Operação “Beijo de Judas”: Secretaria de Operações Integradas do MJSP auxilia no combate ao crime organizado no Espírito Santo

publicado: 24/07/2019 14h40, última modificação: 26/08/2019 12h33
Agentes penitenciários teriam auxiliado na fuga de presos no estado
seopi_bannersite_15042019.jpg

Brasília, 24/07/2019 – Com o apoio da Secretaria de Operações Integradas (Seopi) do Ministério da Justiça e Segurança Pública, o Núcleo de Repressão às Organizações Criminosas e à Corrução (NUROC) da Secretaria de Segurança Pública do Espírito Santo, deflagrou a Operação “Beijo de Judas” nos Municípios de Vitória, Vila Velha e Cariacica. A atuação da Seopi se deu por meio da Coordenação Geral de Combate ao Crime Organizado (CGCO) e também contou com o apoio da Secretaria de Justiça do ES.

A operação teve como objetivo o cumprimento de um mandado de prisão preventiva e seis de busca e apreensão, expedido pela 1ª Vara Criminal da Comarca de Vila Velha, voltado para crimes de corrupção passiva, fuga de pessoa presa e organização criminosa.

A Operação Beijo de Judas tem sua origem a partir da evasão de nove presos da Penitenciária de Vila Velha III (PEVV III), localizada em Xuri, no dia 22 de abril. Com isso, a Unidade Policial recebeu informações de que poderia haver envolvimento de algum agente penitenciário na fuga, dando início às investigações.

Ainda na primeira fase da Operação Beijo de Judas, iniciada nesta quarta-feira (24), ocorreu a prisão preventiva de um ex-inspetor penitenciário da PEVV III. Já os mandados de busca e apreensão foram cumpridos nas residências de cinco inspetores penitenciários, além de uma instituição pública.

Com o desenvolvimento das investigações, foi identificado que o ex-inspetor em situação de designação temporária teria recebido pelo menos R$ 3.500,00  para introduzir material cortante no presídio, que foi utilizado para cerrar as grades, facilitando a fuga dos presos em questão. Ainda, receberia R$5.000,00 para facilitar a fuga de outra galeria, que acabou não sendo realizada. Também existe notícia da promessa de outros R$ 20.000,00 ao ex-inspetor, para que ele introduzisse outros materiais cortantes no presídio.

Aprofundando as investigações, foi possível constatar a possível participação de outros inspetores penitenciários, fato que ainda está em apuração. Até então, dois dos nove presos foragidos foram recapturados, continuando foragidos Adair Fernandes da Silva, Savio Soares de Souza, Julio Cesar Heraldo, Carlos Eduardo Ferreira da Silva, Jean Carlos de Souza Silva, Adamo Moreira Felix e Charles Bastos Moraes.

A Operação Beijo de Judas prossegue buscando identificar o envolvimento de outras pessoas e quantificar a vantagem indevida recebida ou solicitada por elas, tendo como principal objetivo a repressão às infrações penais praticadas em detrimento do interesse público. 

Com informações do Núcleo de Repressão às Organizações Criminosas e à Corrupção