Notícias

Estados apreendem mais de 800 toneladas de drogas nos primeiros seis meses do ano

publicado: 26/06/2020 21h24, última modificação: 26/06/2020 21h24
Número foi apresentado pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública durante o Dia Internacional de Combate às Drogas
WhatsApp Image 2020-06-26 at 4.06.37 PM.jpeg

Brasília, 26/06/2020 – Entre janeiro e junho de 2020, 820 toneladas foram apreendidas pelas Polícias estaduais. O número foi divulgado nesta sexta-feira (26), no Dia Internacional de Combate às Drogas, durante evento no Ministério da Justiça e Segurança Pública que apresentou o balanço das operações, apreensões de drogas e recursos arrecadados com a venda de itens apreendidos do tráfico.

Durante a cerimônia, o ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, ressaltou a importância da atuação das polícias estaduais no combate ao crime organizado. “Temos um compromisso assumido com as Secretarias de Segurança Pública Estaduais de canalizar mais recursos. Não vamos descuidar das forças federais, mas vamos priorizar esta canalização para os estados”, reiterou o ministro.

No balanço apresentado pelos estados durante o evento, das 800 toneladas apreendidas, 770 toneladas são de maconha; 33 toneladas de cocaína; 8 toneladas de pasta base; 3 de crack e cerca de 4 toneladas de skunk. Além das drogas, foram mais de 14 mil armas de fogos apreendidas e R$ 770 mil em bens confiscados.

O presidente do Colégio Nacional de Secretários de Segurança Pública, Cristiano Sampaio, parabenizou todos os policiais militares e civis de pelo resultado e falou das adversidades que os estados enfrentam para descapitalizar as organizações criminosas. “Os desafios são crescentes, mas as experiências positivas. Os pactos federativos firmados são fundamentais para fortalecer o trabalho das pontas para uma atuação ainda mais efetiva”, diz Sampaio.

A cerimônia contou ainda com resultados das polícias federais e rodoviárias federais, além do Programa Nacional de Segurança nas Fronteiras e Divisas (VIGIA) que trabalha de forma inédita e integrada com os agentes de segurança pública federais e estaduais.