Notícias

Ministro Sergio Moro visita postos da Operação Acolhida em Roraima

publicado: 13/02/2020 19h19, última modificação: 14/02/2020 14h35
78c7b8e9-0c72-4458-91fc-53c59269d471.jfif

Brasília,13/02/2020- O Ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, visitou, nesta quinta-feira (13/2), o município de Pacaraima, no Estado de Roraima. Acompanhado do Vice-Presidente da República, Gal Hamilton Mourão, Moro esteve nas instalações da Operação Acolhida, onde acompanhou a atuação Exército e o atendimento aos imigrantes. São 13 abrigos, que atendem venezuelanos que querem deixar o País vizinho, como Joana: “Não temos nada na Venezuela: nem comida, nem remédios, nem emprego. Por isso trouxe meus dois filhos para o Brasil. Quero um futuro melhor para eles”, destacou a ex-comerciante.


“Por mais que a presença de imigrantes possa, em alguns momentos, desagradar aos moradores do Estado de Roraima , temos que pensar no lado humanitário e, neste aspecto, a integração das Forças Armadas com Estados e vários ministérios tem dado uma grande contribuição. Em Roraima a criminalidade violenta caiu em relação à taxa de homicídios, feminicídios, bem como roubos. Então, embora muitas vezes esse fluxo migratório gere uma sensação de insegurança, isso não tem refletido nos indicadores, pelo menos nos crimes mais violentos”, disse Moro.


À tarde, em Boa Vista, Sergio Moro, também visitou as instalações da Acolhida, e o posto de triagem do Exército.
Na Superintendência da Polícia Federal, ao lado do posto, Moro destacou a importância do trabalho da PF não só nessa Operação, mas em várias outras de combate ao crime: “O trabalho da PF tem sido fundamental e de grande relevância. Não é à toa que a Polícia Federal é a instituição em que os brasileiros mais confiam”.


O Ministro da Justiça e Segurança Pública também foi o palestrante convidado da abertura do Congresso Estadual do Ministério Público de Roraima, e defendeu como “essencial” o trabalho dos procuradores no combate à corrupção."Precisamos atualizar a legislação para que instituições, como o Ministério Público,possam ter uma atuação melhor no enfrentamento da criminalidade", disse.