Simulado reúne 2 mil profissionais de segurança para os jogos

por Eline.caldas publicado 18/07/2016 16h59, última modificação 18/07/2016 16h59

Brasília, 18/07/2016 – A Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos, do Ministério da Justiça e Cidadania (Sesge/MJC), coordenou neste domingo (17/7) o 3º Simulado da Operação de Segurança do Transporte para a Cerimônia de Abertura dos Jogos Rio 2016, que teve como foco a segurança do deslocamento de atletas, voluntários, árbitros e autoridades que estarão presentes no evento, no dia 5 de agosto, no Rio de Janeiro.

O simulado começou às 5 horas da manhã e contou com a participação de, aproximadamente, 2 mil profissionais de instituições de segurança federais, estaduais e municipais. A ação foi realizada em diversos pontos e vias da Zona Sul, Barra da Tijuca, Maracanã e Centro, e terminou às 12 horas.

O coordenador do simulado e diretor de projetos especiais da Sesge/MJC, Felipe Seixas, destacou o sucesso do exercício. “O objetivo não era treinar toda a operação da abertura, mas se restringir ao deslocamento. Para esse fim, fizemos o que era necessário para chegar ao resultado esperado. Não houve qualquer tipo de transtorno na chegada ao Palácio do Itamaraty, ao Maracanã e no retorno ao Itamaraty. Avalio como um total sucesso esse que é o terceiro simulado para esse evento. Já aprendemos muito com os dois primeiros e temos a certeza que hoje estamos prontos para a cerimônia de abertura e para o transporte de atletas e autoridades”, comemorou Seixas.

Segundo o coordenador regional de segurança para os jogos e diretor de operações da Sesge/MJC, Cristiano Sampaio, toda a operação de segurança dos jogos será coordenada do Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICCR), do Rio de Janeiro, que terá ativação completa a partir do dia 24 de julho, com a chegada dos atletas. “Todas as forças estarão trabalhando 24 horas por dia, sete dias por semana, executando o planejamento que tem sido pensado. Esse é um implemento gradativo: já temos a Força Nacional nas instalações e a Polícia Militar aumentando o seu efetivo. Já temos também mais de 2 mil homens da Polícia Rodoviária Federal, que já chegaram ao Rio de Janeiro e 3 mil homens da Polícia Federal que chegarão ao longo desta semana”.

Sampaio destacou ainda que o clima dos jogos é de festa e tranquilidade para a população e turistas. Além disso, ele ressaltou a preparação das forças de segurança que estão prontas para agir de acordo com a necessidade da operação. "Desde que o Brasil se propôs a receber os Jogos Olímpicos, foram mapeados os riscos. Ações terroristas são historicamente associadas aos jogos. Porém, existe uma estrutura pensada, planejada e construída com as melhores estratégias do mundo, com integração e cooperação internacional, e isso inclui a prevenção ao terrorismo. Não estamos nos preparando para uma guerra, estamos nos preparando para uma festa, obviamente, levando em consideração todos os riscos apontados pela inteligência”, finalizou Cristiano.

Sampaio assim como Felipe Seixas é delegado da Polícia Federal. Eles contribuíram para a realização do exercício de profissionais da Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Militar, Força Nacional de Segurança Pública, Corpo de Bombeiros, Forças Armadas, além da Guarda Municipal e da Companhia de Engenharia de Tráfego, que auxiliou no ordenamento urbano. O Ministério das Relações Exteriores, Ministério da Defesa, Gabinete de

Segurança Institucional, Governo do Estado do Rio de Janeiro, Secretaria de Estado de Segurança, Prefeitura do Rio de Janeiro e Comitê Organizador Rio 2016 também colaboraram para que o simulado tivesse o resultado esperado. 

 

registrado em: 

Brasília, 18/07/2016 – A Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos, do Ministério da Justiça e Cidadania (Sesge/MJC), coordenou neste domingo (17/7) o 3º Simulado da Operação de Segurança do Transporte para a Cerimônia de Abertura dos Jogos Rio 2016, que teve como foco a segurança do deslocamento de atletas, voluntários, árbitros e autoridades que estarão presentes no evento, no dia 5 de agosto, no Rio de Janeiro.

O simulado começou às 5 horas da manhã e contou com a participação de, aproximadamente, 2 mil profissionais de instituições de segurança federais, estaduais e municipais. A ação foi realizada em diversos pontos e vias da Zona Sul, Barra da Tijuca, Maracanã e Centro, e terminou às 12 horas.

O coordenador do simulado e diretor de projetos especiais da Sesge/MJC, Felipe Seixas, destacou o sucesso do exercício. “O objetivo não era treinar toda a operação da abertura, mas se restringir ao deslocamento. Para esse fim, fizemos o que era necessário para chegar ao resultado esperado. Não houve qualquer tipo de transtorno na chegada ao Palácio do Itamaraty, ao Maracanã e no retorno ao Itamaraty. Avalio como um total sucesso esse que é o terceiro simulado para esse evento. Já aprendemos muito com os dois primeiros e temos a certeza que hoje estamos prontos para a cerimônia de abertura e para o transporte de atletas e autoridades”, comemorou Seixas.

Segundo o coordenador regional de segurança para os jogos e diretor de operações da Sesge/MJC, Cristiano Sampaio, toda a operação de segurança dos jogos será coordenada do Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICCR), do Rio de Janeiro, que terá ativação completa a partir do dia 24 de julho, com a chegada dos atletas. “Todas as forças estarão trabalhando 24 horas por dia, sete dias por semana, executando o planejamento que tem sido pensado. Esse é um implemento gradativo: já temos a Força Nacional nas instalações e a Polícia Militar aumentando o seu efetivo. Já temos também mais de 2 mil homens da Polícia Rodoviária Federal, que já chegaram ao Rio de Janeiro e 3 mil homens da Polícia Federal que chegarão ao longo desta semana”.

Sampaio destacou ainda que o clima dos jogos é de festa e tranquilidade para a população e turistas. Além disso, ele ressaltou a preparação das forças de segurança que estão prontas para agir de acordo com a necessidade da operação. "Desde que o Brasil se propôs a receber os Jogos Olímpicos, foram mapeados os riscos. Ações terroristas são historicamente associadas aos jogos. Porém, existe uma estrutura pensada, planejada e construída com as melhores estratégias do mundo, com integração e cooperação internacional, e isso inclui a prevenção ao terrorismo. Não estamos nos preparando para uma guerra, estamos nos preparando para uma festa, obviamente, levando em consideração todos os riscos apontados pela inteligência”, finalizou Cristiano.

Sampaio assim como Felipe Seixas é delegado da Polícia Federal. Eles contribuíram para a realização do exercício de profissionais da Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Militar, Força Nacional de Segurança Pública, Corpo de Bombeiros, Forças Armadas, além da Guarda Municipal e da Companhia de Engenharia de Tráfego, que auxiliou no ordenamento urbano. O Ministério das Relações Exteriores, Ministério da Defesa, Gabinete de

Segurança Institucional, Governo do Estado do Rio de Janeiro, Secretaria de Estado de Segurança, Prefeitura do Rio de Janeiro e Comitê Organizador Rio 2016 também colaboraram para que o simulado tivesse o resultado esperado. 

 

registrado em: 
registrado em: MINISTÉRIO DA JUSTIÇA